01/08/2017

Vamos filosofar? Livro "Caixa de Pássaros" #resenha

Título Original: Bird Box
Editora: Intrínseca
Autor: Josh Malerman
Páginas: 268
Ano: 2015

"Viver sem filosofar é o que se chama ter os olhos fechados sem nunca os haver tentado abrir." (René Descartes)


Nesta narrativa, enxergar trazia destruição e morte por causa de umas criaturas que quando eram vistas, faziam com que pessoas enlouquecessem matando quem estivesse por perto e logo em seguida se matasse.
Angústia é minha principal sensação ao ler Caixa de Pássaros. Os capítulos alternam entre passado e presente, o que fez a sensação ser ainda mais intensa.
Apesar de tratar-se de uma obra fictícia, o que aprendi com a história, pode ser útil para nossa realidade.

Jardim Botânico, RJ




Vendas, pouca luz, isolamento, medo, é o que se pode perceber de forma frequente em Caixa de Pássaros.
Mesmo não estando neste mundo distópico do livro, há muitas pessoas que vivem assim, só que diferente desta história, elas podem e devem enxergar, podem sair das sombras, retirar as vendas, mas não querem ou não sabem que podem.
Há uma frase que diz que abrir os olhos, pode ser a coisa mais dolorosa que podemos fazer.
Pode ser doloroso, mas não é tão enlouquecedor como no filme e é o melhor que temos a realizar diante de qualquer questão.
Também tem uma música que se chama “Abri os olhos” composta e interpretada pela cantora Sandy que em um dos trechos ela relata bem o que a frase acima quer dizer: 

Abri os olhos
Não consigo mais fechar
Assisto em silêncio
Até o que eu não quero enxergar
Não sei afastar
A dor de saber...
Enquanto eu penso
Tanto, entendo
O que é mais fácil
Não pensar
O que era certo
Eu aprendi
A sempre questionar

Não sabia que a música da Sandy era assim tão filosófica. rs
Abrir os olhos nesse contexto mais filosófico, significa ir em busca da verdade.
Filosofar é basicamente a reflexão de modo crítico sobre todas as coisas. O conhecimento abre nossos olhos.
A importância do filosofar é questionar e por isso, refletir e ponderar sobre tudo aquilo que nos chega como informação, como verdade. E isso inclui também a crítica sobre nossos próprios pensamentos, crenças, ideais políticos, religiosos, valores, comportamento, relações...
René Descartes, o mesmo autor da epígrafe desta resenha, diz que nossas certezas só são realmente nossas, se um dia elas tiverem sido colocadas em dúvida. Quando duvido, reflito e se reflito, penso. Se penso, logo existo!


“Que tipo de homem se acovarda quando o fim do mundo chega? Quando seus irmãos estão se matando, quando as ruas residenciais dos Estados Unidos estão infestadas de assassinatos... Que tipo de homem se esconderia atrás de cobertores e vendas? A resposta é a MAIORIA dos homens. Disseram a eles que poderiam enlouquecer. Então eles enlouquecem.” p. 190


Nesse livro específico e em muitos outros que abordam o terror psicológico, o medo é algo muito frequente. Sabendo que mesmo tendo a função de preservar a nossa vida, o medo em excesso muitas vezes nos paralisa, ressalto a coragem da Malorie, a personagem principal, que foi em busca de uma nova vida literalmente no escuro. Driblando seus medos e incertezas.
Malorie, não acomodou-se em uma situação caótica, mas agiu apesar de todo sofrimento e de toda dor tanto física, quanto emocional que já havia sentido.
Enfim... Muitas vezes em nossa realidade, o presente e o futuro, o crescimento, o desenvolvimento, são atravancados por uma série de fatores que nos dificultam a enfrentar o novo. Quantas vezes deixa-se de realizar alguma coisa por medo do que vai ser encontrado à frente?
Malorie é uma personagem determinada, corajosa, e mesmo tendo sido criada para uma história literária completamente diferente das que aprecio ler, ela ganhou meu coração por ser tão determinada, corajosa, e resiliente. Mais ainda por saber que quem a interpretará na versão do filme é a atriz Sandra Bullock.
Enfim, o que pude relacionar com o livro, é o que aprendi com a vida: Ser ousado, enfrentar os medos, não se acovardar, ser determinado, questionar, refletir...

“O homem é a criatura que ele teme” p. 210

Nossas ameaças são reais. Existem pessoas que alimentam nosso medo, nossa ignorância, a melhor maneira de lutar contra, é retirando as vendas e abrindo os olhos.
Enfim, o final não é esclarecedor, embora a maneira como o autor explica o título do livro através dos olhos de Malorie é surpreendente. Se você gosta do gênero, irá gostar do livro.

40 comentários:

  1. Olá, tudo bem?
    Adorei sua resenha e concordo com você, por mais doloroso que possa ser, devemos abrir os olhos e sairmos das sombras, rs.
    Já vi muuuuuuita gente falar desse livro e já li todo tipo de resenha do mesmo, de pessoas que amaram e pessoas que odiaram. Tenho a opinião bem dividada. Por ser uma pessoa que gosta de ler e visualizar bem as cenas, acredito que não gostaria muito.
    Quem sabe um dia dou uma chance, rs.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, eu percebi que pior que assistir uma obra de terror, é lê-la.
      Não recomendo a pessoas com mente fraca como eu. kkkk
      Grata pelo comentário! Beijos!

      Excluir
  2. Eu adorei sua resenha, mas nunca li o livro!! As pessoas são divididas entre amar e odiar né? Eu fiquei curiosa, mas acho que não leria, não sei, estou em dúvida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou da resenha!
      Se você curte terror, vai gostar.
      Mas se não curte, ele é um pouco pesado, viu?

      Excluir
  3. Você acreditaria se eu te dissesse que tenho esse livro em minha estante e até hoje não li? O motivo é por causa de leituras de parcerias e por que eu preciso de um bom tempo para me acostumar com a leitura "li um pouco e deixei para reiniciar quando tivesse tempo".

    Agora com essa sua resenha não vejo a hora de desfrutar da obra.
    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito! Porque eu só o li agora, depois dele estar na minha estante há mais de um ano. rs
      Talvez você goste! Estou louca pelo filme.

      Excluir
  4. Olá Eliziane,
    Gostei muito dessa sua forma de apresentar e discutir o livro com os leitores. Realmente o final do livro não é esclarecedor, mas com certeza durante o seu post parei para refletir sobre várias metáforas que podem ser feitas sobre do enredo do livro e adorei!! Só isso já fez a leitura valer a pena.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Eu já vi algumas resenhas sobre esse livro, mas nunca parei para pensar nas reflexões que ele pode despertar. Achei muito interessantes e válidas, ainda mais considerando a sociedade atual.
    No entanto, não tenho o hábito de ler livros voltados para o terror psicológico e, por mais que tenha apreciado as reflexões que você comentou aqui, continuo sem interesse em ler esta obra.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você achou interessante minhas considerações.
      Se você não curte o gênero, não é bom ler, porque ele é pesado demais e essas ponderações filosóficas não estão no livro. Beijinhos!

      Excluir
  6. Olá, tudo bem?

    Eu vejo esse livro como drama, que um termo de origem latina e se refere a qualquer obra (peças de teatro, filmes ou livros) que pertença à poesia dramática, é ainda uma obra que inclua situações maioritariamente tensas e conflituosas. Como não estou lendo dramas, pq a vida real já é dura o suficiente, passo a dica.

    bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você pode ver do jeito que quiser, mas não é um drama.
      Aliás, uma pessoa que ama ler ou que se proponha a conduzir um blog literário, deve saber reconhecer minimamente os gêneros existentes.
      Eu também não curto terror, mas relacionei com a ficção, algo sobre a nossa realidade.
      Grata pelo comentário. Beijos!

      Excluir
  7. Oi, tudo bem?
    Conheci esse livro quando o autor veio para bienal do RJ de 2013, mas como não é do gênero que tenho costume de ler não me empolguei!! Que pena que o final não foi tão legal quanto vc esperava!!
    Bjs!
    Fadas Literárias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já esperava esse final por ler outras resenhas, Iris.
      Também não é o tipo de gênero que gosto de ler, mas eu gostei.
      Grata pelo comentário!
      Beijinhos!

      Excluir
  8. Olá,
    Ainda não consegui fazer a leitura dessa obra, mas desde o seu lançamento que tenho muita vontade!
    Estou bem curiosa para conferir como é explicado o título da obra de acordo com o desenrolar da trama.
    O medo com certeza é algo que nos controla e nos impede de fazer muita coisa.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Michele! Tinha esse livro há muito tempo, mas também nunca conseguia ler.
      Você pegou o espírito da coisa!
      Grata pelo comentário!

      Excluir
  9. Oi!
    Estou colocando esse livro como prioridade de leitura, pois o filme já está em produção. Adorei sua analogia com a música da Sandy e Descartes.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Que bom que você curtiu, minha flor!
    Grata pelo comentário!
    Beijinhos pra ti!

    ResponderExcluir
  11. Eliziane, você me fez querer ler o livro. Menina, você escreve eximiamente bem. Meus parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigadinha, querida! Se você não se importa em ler terror, talvez goste.

      Excluir
  12. Olá, tudo bem?

    Eu sempre tive vontade de ler este livro, porém, com o tempo eu desistir e dei para a minha resenhista que adorou a leitura. De qualquer forma, eu desisti por causa do final aberto que teve no final e sei que eu teria ficado bem frustrada. De qualquer forma adorei a reflexão que você trouxe. Xero!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse final aberto, se deve ao fato do autor não explicar o que são as criaturas.
      Mas acho que se ele explicasse, o que quer que ele dissesse que as criaturas são, não iria impactar a todos os leitores.
      Alienígenas, monstros, fantasmas?... Eu acho que ele preferiu deixar por conta da imaginação de cada leitor.
      Grata pelo comentário! Beijos!

      Excluir
  13. Hello!!
    Desde o lançamento que eu quero ler esse livro.
    Muita gente fala bem e até hoje todo mundo surpreende.
    "Caixa de Pássaros" é um livro que sei que vou gostar e depois de saber mais pontos sobre a história, vejo que sera uma leitura e tanto.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  14. Oiii!

    Eu ainda não li esse livro, mas o faria mais para frente. Mesmo não tendo um final aberto, acho que é um livro curioso e que prende a atenção.
    Gostei!

    Beijinhos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas esse final é indiferente, perto das sensações que ele traz quando a gente lê. O livro é bom, de verdade! Beijão!

      Excluir
  15. Olá, tudo bem? Adoro resenhas com tom filosófico, e a sua está demais. De fato esse é um livro que já foi bastante comentado, e quem gosta mesmo é os fãs do gênero. Esse final aberto decepciona muitos, então a opinião sobre ele é bem dividida. Como não é um gênero que leio muito, ainda possuo dúvidas, mas sua resenha me deixou mais perto de ler. Adorei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já li preparada para esse final.
      Talvez você goste, mas ele é meio pesado, Carol. Só leia se tiver certeza.
      Fico feliz que tenha gostado da minha resenha.
      Um beijo!

      Excluir
  16. Oi, tudo bem?
    Gostei muito da sua resenha!! Já faz um tempo que quero ler este livro mas ainda não consegui, adquiri ele numa troca recentemente e pretendo ler ainda este ano!
    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Oi Eliziane, tudo bem?

    Primeiramente, preciso começar elogiando a sua resenha, que está simplesmente maravilhosa e super completa. Já vi muitas opiniões diversas em relação a este livro e confesso que estava ponderando se era uma leitura que deveria fazer ou deixar de lado. Sua resenha conseguiu me cativar e darei uma chance a obra, pois acho que vou gostar. Adoro essa angústia que os livros nos causam e este parece causar muita. Adorei!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você elogiando a minha resenha? rsrs
      As suas são sempre muito especiais!
      Grata pelo comentário!
      Fico feliz que tenha gostado!
      Beijão!

      Excluir
  18. Oi Miss, sua linda, tudo bem?
    Antes de mais nada, pela primeira vez eu vi o significado da palavra Miss que você colocou no fim da posotagem e amei! Agora preciso elogiar sua resenha, já li algumas opiniões desse livro, mas a sua é a primeira que traz uma visão diferente. Fiquei aqui arrepiada com essa frase de que o homem é a criatura que ele teme, não existe maior verdade. Sua análise sobre as questões que o livro levanta ficou incrível! Todos nós temos medo de alguma coisa e é ele o nosso freio. Você mostrou a parte negativa dele, mas penso que existe um lado positivo também, pois às vezes ele pode nos salvar. Não vejo a hora de ler o livro depois de uma resenha dessa!!!!
    beijinhos.
    cila.

    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, flor! Tudo bem, sim!
      rs Que bom que gostou do nome MISS
      Sim! também arrepiei quando li no livro a frase que você citou. E ainda aparece em caixa alta.
      Então... Eu falei do medo em excesso. Inclusive usei essa expressão no meu texto, e disse que apesar dele preservar a nossa vida, ele em excesso pode nos paralisar.
      Fico feliz que uma pessoa de sua sensibilidade literária, tenha gostado da minha resenha.
      Grata pelo comentário!
      Um beijo!

      Excluir
  19. Oi sua resenha ficou fantástica e sua clareza na apresentação do livro neste post bem objetiva. Se saiu divinamente mostrando o lado positivo e o negativo da história.
    Gostei muito!
    Bjos.:
    http://keilyces.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Oi!
    Eu li esse livro assim que lançou e gostei bastante, apesar achar o final meio bléeee. Quero muito ler o novo do autor, estou bastante curiosa.
    Gostei muito da resenha :)

    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também quero ler o novo dele, sim! "O piano vermelho".
      Que bom que gostou da resenha.
      Grata pelo comentário!
      Beijos!

      Excluir
  21. Não conheço esse livro, nem o autor... mas me lembro de ter visto essa capa na Saraiva numa das minhas visitas. Vamos ver se vai entrar na lista na próxima compra. rs

    bacio

    ResponderExcluir